segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Uma aventura pelo Norte do Chile! - Parte 1: Rumo ao Norte!!



Nossa nova aventura fez jus ao nome! Cheia de perrengues, contratempos e surpresas, mas com muitas paisagens de tirar o fôlego e momentos maravilhosos!!!
A intenção inicial era alugar um 4x4 em Santiago, cruzar a fronteira para a Argentina, passar pertinho do Aconcágua, Mendoza, subir até Salta, cruzar novamente para o Chile em pleno Atacama e completar o loop até Santiago de volta.
Só que deu tudo errado!!! Chegando em Santiago vimos que a empresa de quem tínhamos alugado o carro (Poker Rent a Car) não era nada confiável. Na verdade o cara é um broker que arruma os clientes e intermedia o aluguel com outras empresas. Além de receber o carro com 2 dias de atraso, o que nos fez perder uma noite de hotel já paga na Argentina, nos entregou sem os documentos necessários para o cruze da fronteira, mesmo tendo pago 200 dólares por eles (recebemos a notícia do pior jeito possível: fomos informados pelos Carabineiros depois de ficar várias horas na fila da fronteira esperando uma nevasca parar).
Como não estávamos dispostos a perder mais nenhum precioso dia de férias esperando que os documentos fossem arranjados, resolvemos mudar tudo: eu já estava de olho há algum tempo em um lugar chamado Parque Nacional Lauca, mas não estava nos planos por ser muito longe (fica quase na divisa com o Peru), mas como nossa viagem tinha acabado de virar uma tela em branco, resolvemos encarar!

Rumo ao Norte - Copiapó


De Santiago até Putre (a cidade base para visitar Lauca) são mais de 2.000 km, então saímos bem cedo, antes mesmo do nascer do sol. Paramos para almoçar em La Serena e chegamos em Copiapó por volta das 18h, onde dormimos aquela noite. Não há nada de especial em Copiapó, é basicamente uma cidade sustentada pela mineração, sem nenhum atrativo. Tem um clima muito seco e havia algumas faixas pela cidade recomendando o uso de máscaras por causa do poeirão que está por toda a parte. A mina onde ocorreu o acidente que soterrou 33 mineiros por 2 meses, e que virou filme fica lá perto. Dormimos no Hostal Sol de Atacama e gostamos bastante. Preço justo, quartos com banheiro privativo, espaçosos e limpos, próximos de um shopping pequenininho com mercado e restaurantes.

Iquique


No dia seguinte, encaramos mais 960km até nossa próxima parada, uma cidade litorânea bem interessante chamada Iquique. A estrada até lá é muito boa, embora um pouco monótona. Você dirige um bom tempo em estrada praticamente reta, e a paisagem é deserto à direita e à esquerda! Sério mesmo, dirige-se horas a fio sem ver nenhuma plantinha sequer.... Agora, quando você se aproxima de Iquique a coisa fica mais legal. A cidade é espremidinha entre o mar e uma duna de areia gigantesca, por onde passa a estrada. A descida dessa serrinha é muito linda, com a vista da cidade e do Pacífico, sensacional! Deixe sua câmera preparada!
Iquique não é uma cidade lá muito bem cuidada. Apesar da orla ser bonitinha, as construções são meio feiosas, várias delas com carinha de abandonadas, paredes pichadas e janelas quebradas, provavelmente em razão do forte terremoto que atingiu a região em 2014, gerando até alertas de tsunami. Mas atenção aos atrativos: Primeiro, dirigindo pela orla rumo ao centro da cidade, pare quando vir umas barraquinhas de peixe na calçada. Atrás delas você vai encontrar dezenas de albatrozes e leões marinhos tentando abocanhar uma refeição grátis! Eles parecem muito acostumados com a presença humana, não se incomodam nem um pouco com os turistas tirando fotografias.
Depois disso, caso você seja do tipo que não consegue viajar sem fazer umas comprinhas, dê uma passadinha na Zofri. É uma zona franca onde você compra eletrônicos, equipamento de fotografia, eletrodomésticos, tudo com um preço bem atrativo.
Leões marinhos e albatrozes tentando abocanhar peixes dos comerciantes de rua em Iquique

Leões marinhos e albatrozes tentando abocanhar peixes dos comerciantes de rua em Iquique

Albatrozes tentando abocanhar peixes dos comerciantes de rua em Iquique

Placa de alerta para Tsunami em Iquique



Putre


Saímos de Iquique na hora do almoço, seguindo para Putre. Há 3 opções de estrada para chegar até lá:
Opção 1: Rodovia A-31 - As primeiras placas para Putre vão levar você por essa estradinha, que começa ao lado de umas esculturas gigantescas chamadas Presencias Tutelares e passa por pequenos povoados como Belen e Pachama. Não arrisque pegar essa estrada se não estiver em um 4x4. Apesar de começar boa, ela fica bem ruim alguns quilometros adiante, e parece que alaga em vários pontos na época de chuvas.
Opção 2: Rodovia A-27 e A-19 - Por essa estrada você vai passar pelo lindo Vale de Azapa, um oásis verdinho e lindo entre dunas gigantescas, mas cuidado: A estrada é bem perigosa, com precipícios enormes e sem proteção em várias partes. Se for por ali, maneire na velocidade e não dirija à noite.
Opção 3: Carreteira Internacional CH11 - Essa a estrada é mais movimentada e mais segura que as outras opções. É por ali que os caminhões levam os carregamentos do porto de Arica até a Bolívia. Em algumas partes do trajeto você poderá ver petroglifos nas encostas das montanhas, e admirar outro oásis verdinho no meio daquela secura toda, chamado Poconchile.
Putre é uma cidade muito pequena, tem alguns micro mercados, vendinhas e alguns poucos restaurantes. Apesar de tão pequena, é agradável e bem arrumadinha. Ficamos hospedados no Terrace Lodge e recomendamos! Os donos são super simpáticos e solícitos, os quartos muito quentinhos, confortáveis e limpos e o café da manhã é uma delícia. Para comer, vá ao Kuchumarka. A comida é bem feita e o ambiente é muito agradável (há opções para vegetarianos).
Praça em Putre

Montanhas nevadas - Vista de Putre

Solmáforo em Putre

Restaurante Kuchumarka em Putre


Cuidado com a altitude

Putre fica a 3500 metros de altitude, portanto há uma grande chance de que você sofra com a puna, ou mal da montanha enquanto estiver por lá. Dor de cabeça, náusea, falta de ar, tontura, tudo isso é comum e a intensidade dos sintomas varia de pessoa para pessoa. Para prevenir, tomamos um remédio chamado Diamox (não tome nenhum medicamento sem orientação médica!), que é específico para isso. Começamos 2 dias antes de chegar a Putre e continuamos por todo período em que estivemos lá. O principal efeito colateral deste medicamento é um formigamento nas mãos e nos pés. Outra coisa que nos ajudou bastante foi a tal da folha de coca, que você pode comprar nas vendinhas da cidade (a venda da folha é legal nesta região do Chile). Mastigue a folha por alguns segundos e deixe embaixo da língua (não pode engolir!). O alívio é imediato. Ah, é importante beber muita água também, pelo menos uns 3 litros por dia.

Parque Nacional Lauca


Chegar ao parque Nacional Lauca saindo do Putre é muito fácil. Siga pela CH11 em direção à Bolívia e você vai literalmente cair dentro do parque. Uma das coisas mais impressionantes é que a paisagem muda complatamente por lá. O deserto sem fim que você vê desde Arica vai dando espaço a uma paisagem verdinha, cheia de lagos e animais. Vicuñas, Llamas e um bichinho meio chinchila meio coelho chamado Viscacha vão ser um prato cheio para tirar lindas fotos e encher seus olhos!
A vista do Nevado de Putre se erguendo majestoso atrás da Laguna Cotacotani e do Lago Chungará fazem valer muito a pena ter ido tão longe, você vai ver!

Locais de parada


Não existem muitas regras para visitação dentro do parque, então você pode parar seu carro praticamente em qualquer lugar para tirar fotografias (lembre-se de que você está em uma das principais rodovias do Chile, então sempre estacione com segurança).
Há dois postos do Conaf: um no início do parque, próximo a um pequeno lago com uma pontezinha e outro em frente ao Lago Chungará. No primeiro posto, faça a pequena trilha até a lagoa. Normalmente são avistadas muitas vicuñas e Viscachas neste local.
Dica: No começo do Lago Chungará, antes de chegar no posto do Conaf, há uma casinha com um pequeno píer. Pare seu carro por ali e caminhe pelo píer para ter uma vista linda do vulcão e chegar bem pertinho das aves que ficam nadando por lá.
Outro lugar muito interessante é o vilarejo de Parinacota, um povoadozinho desabitado com uma linda igrejinha no meio. Dê uma voltinha pelo parquinho abandonado, pois as fofas viscachas são frequentemente avistadas ali.
Llama - Parque Nacional Lauca

Lago Chungará - Parque Nacional Lauca

Parinacota - Parque Nacional Lauca


Viscachas - Parque Nacional Lauca

Vicuñas - Parque Nacional Lauca

Laguna Cotacotani - Parque Nacional Lauca










quinta-feira, 2 de abril de 2015

Bonito - MS - Viajando sozinha!!




Essa foi uma viagem muito especial e muito gostosa. Tudo começou com um planejamento super em cima da hora por conta de umas férias que não consegui desmarcar. Como o marido está em viagem ao velho mundo e eu estava precisando muito ver um pouco de natureza de novo, decidir fazer uma viagem solo, e o destino escolhido não poderia ter sido melhor: Bonito, no Mato Grosso do Sul!!!
Bonito é uma simpática cidadezinha, com apenas 20 mil habitantes, que fica a 260km de Campo Grande, e que tem sua economia baseada no agronegócio e no turismo. Por lá, você vai encontrar cachoeiras, rios de água cristalina, cavernas, muita mata nativa e muitos animais para contemplar e tirar umas fotinhas.
Como estava indo sozinha, optei por me hospedar no Bonito Hostel, por achar que me sentiria mais confortável e mais integrada lá do que em um hotel convencional, e estava mais que certa! Tudo no hostel favorecia a integração entre os hóspedes, havia muita gente viajando desacompanhado por lá, e mesmo os que não estavam eram super abertos a fazer amizade. O quarto (coletivo) era simples, mas confortável. Havia lockers grandes para guardar as malas, e em cada cama havia uma tomada e uma luminária, que quebravam um galhão.  O café da manhã também era bem gostoso, com frutas, pães, ovos mexidos, frios e uns bolinhos, O único senão do hostel é a localização, pois fica a uns bons 20 minutos de caminhada do centro (ok, ok, não é assim tão longe, mas se você fizer um passeio mais pesado durante o dia suas perninhas vão reclamar da distância!!).
Em Bonito todas as atrações são privadas, e a visitação é sempre intermediada por agências de turismo. No meu caso fechei com a ABN Turismo e não tive nenhum problema, fui bem atendida e eles eram muito organizados. Não adianta muito pesquisar preços entre elas porque os valores dos passeios são todos tabelados, acho que a diferença fica mesmo na comodidade e na qualidade do atendimento.
Comprei as passagens até Campo Grande com milhas pela Tam (9.000 por trecho). O transporte em van até Bonito foi contratado com a mesma agência que organizou os meus passeios e custou R$100,00 cada perna. O trajeto é feito em uma van confortável, dura 4 horas e está disponível em vários horários. Você pode contratar através do seu hotel ou agência de viagem, ou ainda arriscar contratar quando chegar a Campo Grande (há um guichê de informações turísticas bem em frente ao portão de desembarque). Uma opção bem melhor é voar direto para Bonito (a Azul faz esse trecho), mas programe-se, pois só há vôos 2 vezes por semana.
Em Bonito há uma infinidade de passeios para você escolher, e tudo é feito com muita comodidade, o transporte busca você na hora marcada, todos os equipamentos e guias já são incluídos no preço, e muitas vezes até a alimentação também, tudo é feito bem no esquema grupão (me senti quase como numa viagem CVC!!!). Como eu só tinha 3 dias disponíveis (não dá pra contar o dia de chegada nem o de volta, pois o vôo e o traslado de Campo Grande tomam quase o dia todo), decidi fazer 3 passeios bem diferentes: trilha com cachoeiras, rapel e flutuação.

1º dia: Trilha da Boca da Onça


Esta é uma trilha linda, e pelo que andei pesquisando, a mais longa que pode ser feita em Bonito . O transporte busca você bem cedo, por volta das 6:30 da manhã, e te leva para a sede da fazenda Boca da Onça. Lá eles dividem os turistas em grupos (no meu tinha 11 pessoas) e dão uma pequena palestra informativa antes levar todos de Pau de Arara até o início da trilha.
Sede do receptivo Boca da Onça - Bonito/MS

A trilha se inicia com a descida de uma escadaria de 800 degraus que leva até muito perto da Cachoeira Boca da Onça. Essa é uma cachoeira de cerca de 120m de altura, com uma formação rochosa em sua queda que lembra o perfil de uma onça com a boca aberta (para mim parecia mais com o símbolo do Thunder Cats, lembra??). Na área há umas cadeirinhas de sol e uma pequena área para banho, com uma água bem geladinha para você se revigorar antes de seguir a trilha.
Escadaria Trilha Boca da Onça - Bonito/MS

Cachoeira Boca da Onça - Bonito/MS
Continuando o passeio, você ainda poderá nadar nas águas cristalinas do Rio Salobra (se você tiver snorkel, leve na mochila, porque você ainda vai conseguir fazer uma flutuaçãozinha por lá), verá mais algumas cachoeiras lindas - são cerca de 10 ao todo - e no final ainda poderá se encantar com o Buraco do Macaco, que é uma queda que desce sobre uma "meia caverna", que você acessa entrando por uma abertura na rocha. Muito linda!
Buraco do Macaco - Bonito/MS

O trajeto todo tem cerca de 5km, e pode ser feito nos 2 sentidos, dependendo da quantidade de turistas. Isso quer dizer que você pode descer ou subir a escadaria, portanto prepare seus joelhos.Se você tem um preparo físico razoável você vai achar a trilha leve, porque se anda muito devagar e há muitas paradas para contemplação e banho.
Voltando à fazenda, é servido um almoço feito no fogão à lenha, e você poderá aproveitar a piscina de água natural, com peixes enormes nadando nela, até seu transporte chamar para voltar a Bonito.

Dicas:
- O uso de tênis ou calçado fechado é obrigatório, não vá de chinelo.
- Vista roupas leves, o ideal é usar um shorts ou saia fácil de vestir com o corpo molhado. Se você for de legging vai ser um sofrimento se vestir após os pontos de banho.
- Leve uma mochilinha com o seu snorkel, máscara, água, um lanchinho e, se quiser, uma toalha.
- O ideal é levar câmera sub aquática ou colocar a sua em uma bolsinha à prova d'água, pois no Buraco do Macaco você vai precisar.

2º Dia - Abismo Anhumas


O Abismo é uma caverna inundada, cuja única abertura é um buraco na superfície. Só é possível acessar seu interior por rapel, e a descida é longa: são 72 metros de rapel em negativo (não há contato dos pés com a parede), e o lugar é simplesmente único, deslumbrante!!
Para conhecer esse paraíso, é importante reservar um tempo para fazer o treinamento e teste de aptidão no escritório da empresa, que fica bem perto da praça principal de Bonito. Este treinamento consiste basicamente em subir e descer a plataforma 2 ou 3 vezes (é muito rapidinho, leva cerca de meia hora). No meu caso, passei lá depois que voltei da Boca da Onça. Faça sua reserva com antecedência, pois são apenas 16 visitantes por dia, e não tem chororô nessa questão. Lotou, não vai mais ninguém.
O transporte coletivo passou no hostel bem cedinho, por volta de 7:00h. Chegando ao local, você tem um tempinho para ficar observando o mirante para a abertura do abismo enquanto os guias arrumam todo o equipamento. Fomos premiados com a visita de uma coruja linda em uma das árvores, então fique de olho nos bichinhos :).
Os visitantes descem em dupla, ligados por uma corda de segurança, e essa parte é bem tranquila, a única coisa que você tem que fazer é acionar uma alavanca com a mão. Chegando lá embaixo, os visitantes fazem um passeio pela caverna em um barco a remo, enquanto o guia explica as diversas formações rochosas que existem lá dentro. De volta à plataforma, todos colocam uma roupa de neoprene, por causa da água gelada e, equipados com máscara e snorkel, seguem para a flutuação, que dura cerca de meia hora. A água é cristalina, e  caverna é muito funda, com até 80 metros submersos em alguns pontos (uau!!). Dá até um medinho, olhar embaixo d'água e ver aquela escuridão entre os cones submersos!!
A subida de volta exige bem mais do corpo, principalmente das pernas, afinal você estará completamente suspenso por uma corda, e terá que subir o peso de seu corpo sozinho, utilizando as técnicas que eles ensinam rapidamente no treinamento. Tive que parar umas 2 ou 3 vezes para descansar e, quando olhei para baixo, tive a vista mais linda de toda a viagem. Inesquecível!!
Abismo Anhumas - Bonito/MS
Formações Rochosas no Abismo Anhumas - Bonito/MS 

Formações rochosas no Abismo Anhumas - Bonito/MS


Dicas:
-Vá de calça comprida até os tornozelos e com meia alta e grossa, o equipamento do rapel vai raspando na perna durante toda a subida e machuca se a pele estiver desprotegida.
- Leve água e um lanchinho reforçado, a subida dá bastante fome e não há comida inclusa no passeio.
- Não precisa ir de botinha de trekking, aliás não usei a minha em nenhum passeio que fiz em Bonito. Vá com um tênis confortável que é o suficiente.
- Leve um elástico para prender o cabelo.
- Compre um Advil para tomar depois :)

Balneário Municipal


Voltei do Abismo Anhumas super cedo, por volta de meio-dia e, como minha viagem seria tão curta, não gostei da idéia de encerrar o dia por ali... estava decidida a aproveitar ao máximo! Consultei a agência do hostel e não havia muita coisa disponível para vistar naquele horário, então me armei de snorkel, bandana no pescoço e garrafinha de água, aluguei uma bike (R$20,00) e fui até o Balneário Municipal!!
O Balneário fica a cerca de 7 km do centro de Bonito. Há uma ciclovia praticamente por todo o caminho até lá, e não há grandes subidas ou descidas. O maior problema mesmo é o sol forte, que torna a pedalada um pouco cansativa. Passe bastante protetor, use um boné e leve bastante água.
O lugar não está tão bem cuidado quanto as outras propriedades de Bonito, mas mesmo assim vale a pena visitar. Há um trecho legal do rio para flutuação, com uma enorme quantidade de peixes, e é muito relaxante ficar um tempo sentada na margem com os pezinhos na água pensando na vida. Há restaurantes, lockers, lojinha de souvenirs, vestiários e salva vidas.


No caminho, quase chegando no Balneário, duas meninas gringas que estavam voltando de bike muito gentilmente me apontaram um macaco lindo que estava em uma árvore próxima (Monkey!! Monkey!!!). Ainda consegui tirar uma fotinha :)

Dentro do balneário haviam várias araras que pelo que parece ficam sempre por ali, muito à vontade com os visitantes.

3º dia - Rio da Prata


Nesse passeio você faz uma flutuação de umas duas horas em um rio de águas muito, mas muito cristalinas (sem brincadeira, a visibilidade lá é de mais de 25m!!!). A quantidade e a variedade de peixes é enorme, Pacus, Piraputangas e vários outros nadam tranquilamente em meio à vegetação linda do fundo do rio enquanto você flutua lentamente entre eles.


A estrutura é impecável, como em praticamente todas as atrações de Bonito. Todos recebem roupa e botinha de neoprene, snorkel e máscara e seguem até o início da trilha em um pau de arara. O trecho a ser percorrido a pé é bem curtinho e plano, e antes de iniciar a flutuação há um pequeno treinamento.
Tudo é muito organizado e confortável, e antes de ir embora você tem um tempinho para relaxar na sede e aproveitar o almoço feito no fogão a lenha. Há várias araras que ficam sempre nas árvores próximas, então aproveite para observá-las e fotografá-las bem de pertinho.

Buraco das Araras


Essa propriedade fica muito próxima ao Rio da Prata, e normalmente o transporte coletivo faz uma parada lá na volta. Caso você não queira fazer o passeio tem que ficar na sede esperando o grupo voltar antes de seguir para Bonito.
A atração é, como o nome diz, um enorme buraco, formado pelo desmoronamento de galerias criadas pela ação de lençóis freáticos e infiltração de água da chuva. Segundo o guia, o proprietário comprou a fazenda sem saber da existência do tal buraco, e ficou muito decepcionado na época, pois considerou uma parte "perdida" do terreno.
Ele havia sido usado por muito tempo como ponto de desova, e estava cheio de lixo e carcaças de carros. Quando o ecoturismo entrou em cena, os proprietários decidiram limpar o buraco e cuidar de sua preservação pensando em atrair visitantes. Tiraram de lá, entre outras coisas, carcaças de carros e ossadas humanas e, para a surpresa de todos, encontraram um casal de jacarés no lago que há no fundo do buraco (?!?). Parece que eles foram colocados lá por alguém que desejava dar um sumiço nos corpos que eram desovados no lugar....
A visita leva cerca de 1 hora, e você fica observando o vai e vem das araras e outras aves dentro do buraco e nas árvores em volta. Não dá para vê-las de perto e nem há uma quantidade assim tão grande de aves por lá, mas para mim só o buraco e as histórias super interessantes já valeram o passeio :)


Bonito é um destino fantástico, não apenas pelas belezas naturais, mas pelo ótimo trabalho de desenvolvimento do ecoturismo que foi feito por ali. Infelizmente em nosso país não é muito comum vermos o ecoturismo ser levado tão a sério (veja o exemplo da Chapada Diamantina), mas esse paraíso é uma prova de que isso é possível, e vale o investimento.



Tabela de Preços de Passeios (preços de Março/2015)

Novo: MONTE RORAIMA!

DIÁRIO DA AVENTURA - PARTE 1 !!!!





Bonito/MS - Tabela de Preços e Descritivo dos Passeios (Março/2015)

Tabela de Preços e Descritivo dos Passeios (Março/2015)

Recebi esta tabela por e-mail do HI Hostel e estou repassando para você já ir se acostumando com o padrão de preços de Bonito e não morrer do coração quando receber a cotação da agência de viagens!!


BONITO ECOLOGICAL TOUR 2015

BT = BAIXA TEMPORADA; AT = ALTA TEMPORADA

OS VALORES DOS PASSEIOS SÃO VÁLIDOS PARA 2015 – ALGUNS PASSEIOS DEVEM AUMENTAR SEUS PREÇOS A PARTIR DE 1° JULHO, OU 1° DE DEZEMBRO E OUTROS A PARTIR DE 1° DE  JANEIRO DE TODOS OS ANOS. O VALOR DOS ATRATIVOS É DISPONIBILIZADO PELOS ATRATIVOS, AS AGÊNCIAS SÃO APENAS INTERMEDIADORAS DAS RESERVAS.

GESTANTES E CARDÍACOS: algumas atrações ecológicas são proibidas para gestantes e pessoas com problemas cardíacos e respiratórios. Exemplos: visita à Gruta do Lago Azul após o 5° mês, Boca da Onça trilha, rapel no Abismo Anhumas.

OBS: TRANSPORTE PARA OS PASSEIOS NÃO ESTA INCLUÍDO NOS VALORES DE CADA ATRAÇÃO ECOLÓGICA – O HI HOSTEL OPERA COM O TRANSPORTE ECONÔMICO COMPARTILHADO (EM GRUPO),  QUE VARIA ENTRE R$ 35,00 E R$ 70,00 POR PESSOA, DEPENDENDO DO NÚMERO DE PESSOAS E DA DISTÂNCIA DO PASSEIO.

FLUTUAÇÃO:

Rio Sucuri: Caminhe em uma agradável e leve trilha pela mata ciliar do Rio Sucuri, onde conhecerá várias nascentes, surpreenda-se com o mirante azul, em seguida dará inicio a flutuação deixando a leve correnteza do Rio Sucuri te levar, e tenha a sensação de estar dentro de um aquário, onde os peixes, o volume e a transparência deste rio tornam seu passeio inesquecível. Inclui: Máscaras, snorkel, roupa de neoprene, calçado apropriado e almoço. Distância: 19 Km. Duração: Meio Período. Desconto Hostel no passeio com almoço – consulte-nos sobre outras atividades no Rio Sucuri. Valores por pessoa abaixo:
Alta Temporada – R$ 230,00 com almoço
Baixa Temporada – R$ 204,00 com almoço

Nascente Azul: uma caminhada pela margem do rio até a Nascente Azul, na qual o visitante flutua por 20 a 30 minutos observando a vegetação subaquática e várias espécies de peixes, depois desce o rio flutuando até chegar na lagoa onde há criação de peixes, na qual pode também flutuar. Inclui: Máscaras, snorkel, roupa de neoprene, calçado apropriado e almoço. Distância: 35 Km. Duração: Meio Período. Valores por pessoa abaixo:
Alta Temporada – R$ 204,00 com almoço
Baixa Temporada – R$ 166,00 com almoço

Aquário Natural – Baía Bonita: Primeiramente há o treinamento em uma piscina para adaptação do equipamento. Em seguida inicia-se a trilha onde se podem avistar animais e aves de várias espécies e árvores nativas. Na nascente do rio o visitante é atraído pela transparência de suas águas, repletas de cardumes de peixes de mais de 30 espécies diferentes e é deste ponto que se inicia a descida pelo rio. Durante todo o percurso da flutuação há um barco de apoio. Inclui: Máscaras, snorkel, roupa de neoprene e calçado apropriado. Distância: 08 Km. Duração: Meio Período. Valores abaixo por pessoa:
Alta Temporada – R$ 190,00 sem almoço
Baixa Temporada – R$ 170,00 sem almoço


Parque Ecológico Rio Formoso: A caminhada segue por uma trilha na mata ciliar, margeando o Rio Formoso.  A flora exuberante atrai pássaros e animais silvestres. A caminhada de 1.800 m termina no Deck Paraíso onde se inicia a descida do Rio Formoso. O visitante irá flutuar próximo a cardumes de peixes, entre algas e troncos submersos. Inclui: Máscaras, snorkel, roupa de neoprene, calçado apropriado e almoço. Distância: 07 Km. Duração: Meio Período. Valores abaixo por pessoa:
Alta Temporada – R$ 90,00 sem almoço
Baixa Temporada – R$ 85,00 sem almoço

Bonito Aventura: O passeio começa com uma trilha interpretativa de 1.800 m, onde o visitante pode observar uma grande variedade de palmeiras, bromélias, árvores nativas, pássaros de todas as cores e tamanhos e animais silvestres. Após a caminhada, inicia-se a flutuação de 2.200 m pelas águas cristalinas, cheias de troncos submersos no Rio Formoso. As descidas pelas corredeiras dão um toque de emoção ao passeio. Inclui: Máscaras, snorkel, roupa de neoprene, calçado apropriado e almoço. Distância: 6 Km. Duração: Meio Período. R$ 100,00 (com almoço); R$ 80,00 (sem almoço).
Alta e Baixa Temporada – R$ 100,00 com almoço / R$ 80,00 sem almoço

Barra do Sucuri: Inicia-se o passeio subindo o Rio Sucuri de barco até o ponto onde irá iniciar a flutuação, durante o percurso poderá observas a fauna e flora do local. Inclui: Máscaras, snorkel, roupa de neoprene e calçado apropriado. Distância: 18 Km. Duração: Meio Período.
Alta Temporada – R$ 120,00 sem almoço
Baixa Temporada – R$ 99,00 sem almoço

Rio da Prata: A mata ciliar do Rio da Prata está à sua espera para uma caminhada cheia de aventura, onde se podem observar animais silvestres e árvores centenárias. A partir da nascente, você flutuará na nascente do Rio Olho D’agua, como um grande aquário de águas cristalinas, se deslocará tranqüilamente em meio a dezenas de espécies de peixes. Inclui: Máscaras, snorkel, roupa e bota de neoprene e almoço típico sul-mato-grossense, servido na sede da fazenda. Aproveite para relaxar em um confortável redário. Distância: 50 Km. Duração: dia todo com almoço.
 Alta Temporada – R$ 218,00 com almoço
Baixa Temporada – R$ 184,00 com almoço

Lagoa Misteriosa: Famosa pela incrível transparência de suas águas e sua profundidade desconhecida. É considerada a quinta caverna mais profunda do país, sendo a mais profunda inundada do Brasil, atingindo mais de 220 metros de coluna d`água. Na lista dos maiores desníveis da Sociedade Brasileira de Espeleologia - SBE (2009) a Lagoa Misteriosa figura em sétimo, com a profundidade atualmente conhecida de 220 metros.
Caminhada de 600 metros por trilha interpretativa até a chegada ao mirante de contemplação e a escadaria de acesso (179 degraus), descida, contemplação da lagoa, flutuação em circuito circular, subida da escadaria e retorno por trilha interpretativa por 500 metros até o receptivo – duração de 2 horas;
Alta e Baixa Temporada – R$ 130,00



CACHOEIRAS PISCINAS NATURAIS:

Ceita Corê: Na língua tupi-guarani “Terra de meus filhos”. Passe um dia agradável num ambiente rural desfrutando destas maravilhas: trilhas pela mata ciliar com belíssimas cachoeiras, piscinas naturais, pequenas grutas, carretilha, passeio a cavalo e almoço típico da fazenda.Um passeio repleto de encantamento e diversão para o dia inteiro. Distância: 36 Km. Duração: Dia todo.
Alta Temporada – R$ 165,00 com almoço
Baixa Temporada – R$ 145,00 com almoço

Boca da Onça: O passeio de caminhada por trilha pela mata preservada, passando por cachoeiras cristalinas, pelo cênico Rio Salobra, por pontos de banhos em piscinas naturais e pela mais alta cachoeira do Estado: a Cachoeira Boca da Onça, com 156 metros de altura. E do mirante do Rapel Boca da Onça poderá avistar o Vale do Rio Salobra a 180 metros de altura. Após o passeio é servido o almoço. O receptivo oferece duas piscinas de água corrente com peixes típicos da região que nadam junto com o visitante, relaxante hidromassagem e ducha natural. Distância: 59 Km Duração: Dia todo.
Alta Temporada – R$ 196,00 com almoço
Baixa Temporada – R$ 167,00 com almoço

Rio do Peixe: da mesma modalidade dos três passeios anteriores, com trilhas, cachoeiras, piscinas naturais, onde você pode curtir e relaxar. Distância: 35 Km. Duração: Dia todo.
Alta Temporada – R$ 150,00 com almoço
Baixa Temporada – R$ 165,00 com almoço                                                        

Cachoeiras da Estância Mimosa: Aventure-se pela floresta do Rio Mimoso em meio a árvores centenárias e animais silvestres. São várias cachoeiras lhe convidando para se refrescar em suas piscinas naturais. Há também plataforma de salto, pequenas grutas, passarelas suspensas e trecho percorrido em barco a remo. Ao longo da trilha, você passará por diversos mirantes com visões panorâmicas da Serra da Bodoquena. Depois de tanta diversão, nada melhor que retornar à sede, onde um almoço com pratos e doces regionais, estará lhe aguardando no fogão à lenha. Distância: 24 Km. Duração: Meio Período.   
Alta Temporada – R$ 145,00 com almoço
Baixa Temporada – R$ 127,00 com almoço



CIRCUITO DE AVENTURA:

Abismo Anhumas: O rapel de 72 metros por uma fenda na rocha leva a uma caverna com magníficas formações e um lago de águas cristalinas, onde a flutuação revela a beleza subaquática do lugar. Para o rapel existe um treinamento obrigatório um dia antes da descida. Distância: 22 km. Duração: Meio período. Rapel com flutuação: R$ 575,00 – Com mergulho autônomo (scuba) = 805,00; incluída a roupa de neoprene;
Alta e Baixa Temporada – R$ 633,00 (com flutuação)
Alta e Baixa Temporada – R$ 891,00 (com mergulho)

Rapel na Boca da Onça: Uma descida repleta de adrenalina em um paredão vertical de 90 metros de altura. A ponte de rapel é uma estrutura de 34 metros de comprimento que se projeta no abismo, proporcionando uma vista deslumbrante sobre o canyon do rio Salobra. Distância: 60 km. Duração: Meio Período.
Alta Temporada – R$ 410,00 com almoço
Baixa Temporada – R$ 360,00 com almoço
        
Arvorismo Cabanas: É uma modalidade de esporte de aventura, com grau de dificuldade denominado como “Acrobático”. Consiste em um percurso aéreo sempre na copa das árvores, com montagem de obstáculos tais como: tirolesa, passarelas, pontes e diferentes atividades suspensas, através de cordas e cabos de aço, colocados de maneira estratégica para proporcionar a cada participante uma boa dose de adrenalina e desafio, com muita segurança e contato com a natureza. Distância: 7 Km. Duração: Meio Periodo
Alta Temporada – R$ 100,00
Baixa Temporada – R$ 85,00
Alta e Baixa Temporada (ARVORISMO NOTURNO) – R$ 105,00

Ybirá Pe:  Em tupi-guarani significa “Caminho das Árvores”. O passeio proporciona aos praticantes a oportunidade de observar a vida selvagem na perspectiva dos pássaros, ou seja, na copa das árvores. O arvorismo é praticado em diversas travessias por cabos de aço instalados em árvores nativas como: aroeira, bálsamo, peroba e outras. As travessias chegam a plataformas instaladas nas árvores em alturas variando de 10 a 20 metros. Distância: 08 Km. Duração: Meio Período
Alta Temporada – R$ 99,00
Baixa Temporada – R$ 85,00

Ducking: Atividade emocionante, em caiaque para duas pessoas e remo duplo, os visitantes curtem a descida do magnífico Rio Formoso, passando por várias quedas d´água, observando fauna e flora local. Distância: 12 Km; Duração: meio período: AT e BT R$ 99,00 por pessoa.
Alta e Baixa Temporada – R$ 99,00

Bóia Cross – Parque Ecológico: Inicia com uma pequena caminhada em trilha suspensa até a área de embarque onde o visitante irá descer por cerca de 1000 metros pelo Rio Formoso em bóias individuais, num percurso de 40 minutos de água, curtindo a emoção de enfrentar três cachoeiras e duas corredeiras. Ao longo do passeio, além de sentir a aventura das quedas, o visitante terá oportunidade de contemplar o belíssimo Rio Formoso com centenas de peixes e uma incrível flora subaquática. O retorno será feito através de caminhada por trilhas suspensas na mata ciliar onde o visitante poderá observar animais silvestres. Ao final do passeio o visitante terá ainda oportunidade de poder se banhar nos rios Formoso e Formosinho. Distância: 07 km. Duração: Meio Período. 
Alta Temporada – R$ 75,00
Baixa Temporada – R$ 70,00

Bote no Rio Formoso: Passeio em botes de borracha num percurso de 6 Km por um dos principais rios da região, o Formoso. Durante o passeio, os botes passam por três cachoeiras e duas corredeiras. Podem-se avistar diversos pássaros e animais na margem do rio. Ideal para todas as idades. Distância: 12 Km. Duração: Meio Período.  AT e BT: 99,00 e crianças de 5 a 10 anos e para grupos de excursões = R$ 90,00;


MERGULHO AUTÔNOMO:

Abismo Anhumas: O que a primeira vista se parece com uma pequena fissura no solo de Bonito (MS), se transforma numa incrível descida de rapel de 72 metros, o equivalente a um prédio de 30 andares! Na caverna, com as dimensões de um campo de futebol, em águas cristalinas e cones submersos de até 16 m. de altura, pode-se praticar mergulho com cilindro, mas somente para quem tem credencial básica. Na parte seca há vários salões e formação de espeleotemas que a natureza esculpiu de uma beleza inesquecível. No mergulho autônomo em meio aos cones, tem-se uma visibilidade que varia de 40 a 60 metros. Distância: 22 km. Duração: Meio Período.
Alta e Baixa Temporada – R$ 633,00 (com flutuação)
Alta e Baixa Temporada – R$ 891,00 (com mergulho)

Lagoa Misteriosa: Caminhada de 600 metros por trilha interpretativa até a chegada ao mirante de contemplação e a escadaria de acesso (179 degraus), descida, contemplação da lagoa, flutuação em circuito circular, subida da escadaria e retorno por trilha interpretativa por 500 metros até o receptivo –duração do mergulho de 45 minutos;
Alta e Baixa Temporada – R$ 310,00

Discovery Kelm Scuba Dive: Este programa é composto por instruções básicas de mergulho e de adaptação aos equipamentos, compensação de pressão, respiração e natação subaquática, são acompanhadas por um mergulhador profissional experiente que guiará por este belo mundo de águas cristalinas repleto de lindos peixes e vasta vegetação no Rio Formoso até a chegada em uma bela cachoeira. Duração: Meio Periodo Distância: 6,2km.
Alta e Baixa Temporada – R$ 200,00

Discovery Scuba no Rio da Prata: Este programa é composto por instruções básicas de mergulho e adaptação aos equipamentos de compensação de pressão, respiração e natação subaquática. É acompanhado por um mergulhador profissional, que o guiará por este belo mundo de águas cristalinas do Rio da Prata, repleto de lindos peixes e vasta vegetação. O mergulho é feito a profundidade máxima 07 m, além da beleza do rio, torna-se relaxante pelo visual de cardumes de peixes como Piraputangas, Curimbas, Pacus e Dourados. O instrutor e os equipamentos devem ir no transporte do cliente. Distância: 56 Km. Duração: Meio Período.
Alta e Baixa Temporada – R$ 225,00




GRUTAS / CONTEMPLAÇÃO:

ATENÇÃO: Com “crianças ainda muito novas (bebês) os passeios de Bonito ficam restritos aos balneários, os principais são proibidos por medida de segurança, como por exemplo, a Gruta do Lago Azul, Rio da Prata e outros dos mais lindos e emocionantes. As crianças começam a aproveitar os passeios de Bonito a partir dos 8 anos de idade.

Grutas de São Miguel: Localizada no Parque Ecológico Vale Anhumas, com a emocionante caminhada sob uma trilha suspensa de 180m na altura da copa das árvores até chegar à entrada de uma das cavidades mais antigas deste planeta. Uma gruta com diversas formações calcárias onde a natureza intocável mostra seus corais e ninhos de calcário. Receptivo com mirante e bar. Distância: 18 Km. Duração: Meio Período.
Alta e Baixa Temporada – R$ 45,00 (adulto)
Alta e Baixa Temporada – R$ 36,00 (crianças)

Gruta de São Mateus – Num percurso de 320 metros de trilhas em meio à natureza, você poderá conhecer diversas espécies de flora e fauna, em uma altitude de 150 metros, num ambiente totalmente natural, em meio a árvores centenárias. Uma visitação ao Museu Kadiwéu também está no pacote. Necessários o uso de tênis e roupas leves. Idade mínima de 5 anos. Distância: 6km. Duração: Meio Período.
Alta e Baixa Temporada – R$ 45,00

Buraco das Araras: Em meio ao cerrado uma enorme cratera totalmente em arenito com sua beleza e exuberância, lugar onde diversos pássaros, principalmente as “Araras Vermelhas” adotaram como habitat natural. O nome Buraco das Araras surgiu em razão do grande número de araras que habitam o local e fazem verdadeiros espetáculos. Em seu interior fauna e flora bem particulares, com seu ecossistema próprio e um grande lago habitado por jacarés da espécie papo amarelo. O passeio é uma boa opção, antes ou depois para quem faz o passeio Rio da Prata. Distância: 55 km. Duração: Meio Período.
Alta e Baixa Temporada – R$ 48,00

Gruta do Lago Azul: Visita com descida e subida através de 586 degraus escorregadios esculpidos na rocha frágil já desgastada, não recomendado para gestantes e cardíacos. Por sua beleza e fragilidade, a área da gruta foi transformada em Monumento Natural, garantindo sua preservação. Distância: 20 km. Duração: Meio Período.
Alta Temporada – R$ 60,00
Baixa Temporada – R$ 45,00



CAVALGADAS:

Cavalgada Parque Ecol. Rio Formoso: Cavalgada através de matas ciliares e pastagens, junto do Rio Formoso, com subida ao morro do Tamanduá e parada para banho de rio. Distância: 07 Km. Duração: Meio Período.
Alta Temporada – R$ 70,00
Baixa Temporada – R$ 65,00

Cavalgada Estância Mimosa: Na Estância Mimosa Ecotur, o visitante além de visitar as belas cachoeiras, poderá também fazer um agradável passeio a cavalo por entre as morrarias da fazenda. Distância: 24 Km. Duração: Meio Período – R$ 52,00.
Alta e Baixa Temporada – R$ 52,00

Cavalgada Rio da Prata: O Recanto Ecológico Rio da Prata, além da flutuação, oferece também ao visitante (opcional) um agradável passeio a cavalo na fazenda. Distância: 54 Km. Duração: Meio Período.
Alta e Baixa Temporada – R$ 52,00


BALNEÁRIOS:

Balneário Municipal: As águas cristalinas do Rio Formoso permitem uma visão nítida de peixes de cores e tamanhos variados. Dispõe de sanitários, quadra de vôlei de areia, lanchonetes e sorveteria. Observação: Não é necessário acompanhamento de guia de turismo local. Distância: 08 Km. Duração: Livre.
Alta Temporada – R$ 30,00
Baixa Temporada – R$ 25,00

Balneário do Sol: Localizado às margens do Rio Formoso, oferece a possibilidade de nadar nas piscinas naturais ou no próprio rio, entre as piraputangas, curimbatás e dourados, com lindas cachoeiras fazendo parte do cenário. Possui carretilhas, trampolim, lanchonete, restaurante, quiosques para churrasco, redário, quadras de vôlei e futebol de areia. Não é necessário acompanhamento de guia de turismo local. Distância: 11 Km. Duração: Livre.
Alta e Baixa Temporada – R$ 35,00

Ilha Bonita – O balneário conta com uma estrutura repleta de entretenimento e comodidade, onde podemos encontrar animais silvestres, cachoeiras, eco passeios, passeios de bote, trampolins e muito mais! Distância: 8km.
Alta e Baixa Temporada – R$ 40,00 (adulto)
Alta e Baixa Temporada – R$ 30,00 (crianças)

BIKE:

Bike Tour Lobo Guará:  Para você que gosta de pedalar a aventura Lobo Guará com bicicletas especiais, próprias para trilhas, é a novidade do momento, com monitores habilitados, a pedalada começa no centro de Bonito, segue por trilhas ao redor da cidade até alcançar uma fazenda, onde o visitante segue por trilhas especiais margeando o magnífico Rio Formoso com duas paradas para banho nas águas transparentes. Cada visitante planta uma muda de árvore nativa na Reserva do Lobo Guará, contribuindo com a recuperação de áreas que foram degradadas no passado - Preço = R$ 75,00 por pessoa - passeio de meio dia – distância da cidade de 7 Km;
Alta e Baixa Temporada – R$ 98,00


QUADRICICULO –

Rota Zagaia: Aventura e emoção durante os 7 km de percurso com o acompanhamento de monitor experiente e treinamento antecipado obrigatório. Equipamentos de segurança como capacete e toca higienizada inclusos no valor por pessoa. 
Alta e Baixa Temporada – 100cc – R$ 95,00
Alta e Baixa Temporada – 420cc individual – R$ 125,00
Alta e Baixa Temporada – 420cc duplo – R$ 170,00
Duração: 1h e meia. OBS: Usar calça e tênis.

Projeto Jibóia - Trabalho bastante interessante de desmistificação das serpentes (cobras). Duração: 1 hora - localizado na cidade * início ás 19:00 h. Você poderá levar uma foto com uma cobra não venenosa, uma Jibóia.
Alta e Baixa Temporada – R$ 35,00 (adulto)
Alta e Baixa Temporada – R$ 25,00 (crianças)


NOVO: MONTE RORAIMA!!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Regras de Bagagem, para você que morre de medo da alfândega!


Bom, o post de hoje é para tentar acalmar o coraçãozinho de quem vai viajar e começa a suar frio só de pensar em passar na alfândega na volta. Vai pra Miami e quer fazer umas comprinhas? Não vai comprar nada mas fica com medo mesmo assim?
Vou tentar fazer um resuminho totalmente informal e independente baseado nas principais normas que regulam o assunto e das informações contidas no site na Receita Federal:

Que bens podem podem ser trazidos na minha bagagem quando voltar do exterior?
Você pode trazer tudo o que for considerado bagagem pela Receita Federal: roupas, acessórios, artigos de higiene, cremes, maquiagem, calçados. Se estes itens estiverem de acordo com a duração da sua viagem, serão considerados isentos. Se forem em quantidade maior do que o necessário para os dias que você passou no exterior, você poderá ter de pagar imposto sobre eles.
Por exemplo, se você foi passar 3 dias em Miami e trouxe, além das suas roupas usadas, 10 batons, 10 shampoos e 20 camisetas, todos novos, você pode ser tributado na volta.
Atenção:Você não poderá trazer bens para fins comerciais ou industriais, partes de automóveis, aeronaves ou embarcações. Então, se você estiver trazendo 200 camisetas da Hollister para vender, ou umas pecinhas de motor de carro, provavelmente sua mercadoria será retida pela Receita.

De quanto é a cota de isenção?
Se você trouxer bens considerados bagagem, mas em quantidade incompatível com o tempo que você passou viajando, você ainda terá direito a uma cota de isenção no valor de USD 500,00, se a viagem for de avião ou navio, ou USD 300,00 se a viagem for terrestre.

Ai, comprei mais do que isso, e agora??
Calma, nem tudo está perdido! Dirija-se ao canal ¨Bens a Declarar" da alfândega e faça a declaração de seus bens. Assim, você evita o pagamento de multa e agiliza seu atendimento. Para os bens declarados, o imposto é de 50% do que exceder a cota de isenção. Se você não declarar, a tributação somada com a multa sobe para 75%.
Para facilitar, guarde as notinhas do que você comprar. Assim, você saberá se ultrapassou a cota e o valor certinho dos bens a serem declarados.
Ah, e para facilitar mais ainda, você ainda pode fazer a declaração antes mesmo de pegar o avião de volta, pelo site da Receita.

E o meu computador, celular, tablet? 
Você pode trazer, sem pagar imposto: um celular, uma máquina fotográfica e um relógio de pulso, desde que estejam usados. Iphone 6 na caixinha sem uso paga imposto, ok? Se você comprar um celular na viagem e usar enquanto estiver fora, este celular estará isento, desde que você não tenha mais nenhum outro com você.
Não existe nenhuma regra que considere isento seu Ipad ou Notebook, então eles entram naquela regra dos USD 500,00 que está explicada aí em cima.

Quero trazer um tablet escondido no casaco e um iphone na cueca, pode?
Claro que não, né! Se você for pego você está sujeito a perder os bens, além de outras penalidades previstas na legislação

Outras dicas:

Réplica de arma de fogo não pode entrar no país, assim como armas de paintboll, de ar comprimido, ou mesmo aquelas do Piratas do Caribe que são iguaizinhas a pistolas antigas.
Mercadoria pirateada também não pode entrar, então nada de trazer bolsa Chanel do Chinatown.
Bebidas alcoólicas tem um limite de 12 litros por passageiro, e cigarros 10 maços com 20 cigarros cada (menores de idade não tem direito a estas cotas). E vale lembrar que estes produtos também entram na regra dos 500 dólares.
As cotas de dois ou mais passageiros não podem ser somadas. Se você vai com a namorada e trouxer um notebook de USD 1.000,00, ainda vai ter que pagar imposto sobre ele, mesmo que sua namorada não tenha trazido nada.
Enxoval de bebê: você que está gravidinha e quer fazer seu enxoval na Carters, fique atenta, pois o bebê que está crescendo lindo na sua barriga não tem cota, e o enxoval não é isento. Passou de USD 500,00 tem tributação.
Livros são isentos de imposto, pode trazer quantos quiser.
Alimentos também têm restrições: queijos, carnes, embutidos, presunto, nada disso pode. Para outros produtos de origem vegetal ou animal consulte o site da Vigiagro
Dinheiro em espécie: acima de R$ 10.000,00 ou o equivalente em outra moeda devem ser declarados à Receita Federal, tanto na entrada quanto na saída do país. Esta declaração também pode ser feita no site da Receita.

Bom, este é só um resuminho. Caso você tenha alguma dúvida mais específica informe-se no site da Receita Federal do Brasil. Boa viagem!!


Novo: MONTE RORAIMA!!http://awaywthebirds.blogspot.com.br/2016/02/monte-roraima-uma-viagem-inesquecivel.html




terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Chapada Diamantina - 9 dias - Parte 6

Lençóis
A última parte da nossa viagem teve como base a "metrópole" da Chapada! Lençóis é a principal cidade, lotada de pousadas, bons restaurantes e bares. É lá que a maioria dos turistas fica, saindo diariamente para todas as atrações da região.

Onde Ficar
Conseguir uma pousada por lá pode ser uma tarefa árdua nos feriados e meses de alta temporada. No nosso caso, no reveillon, foi quase impossível conseguir uma acomodação. Passei quase 1 semana ligando diariamente para muitas pousadas, e as poucas que ainda tinham vaga estavam cobrando inacreditáveis R$400,00 por noite!!
No final, conseguimos um quarto duplo na Pousada Piçarras por R$300,00 por noite (ai meu bolso...). As fotos pareciam promissoras, mas chegando lá.... que decepção!! O quarto era absurdamente quente, com um ventilador de teto que não ajudava em nada e com apenas 1 janela que dava para a área de café da manhã!! Ou seja, tivemos que escolher entre morrer de calor durante a noite ou perder completamente a nossa privacidade com todo mundo olhando para dentro do nosso quarto de manhã... Fala sério. Ah, e para piorar não tinha serviço de quarto, nem uma varridinha no chão foi dada nos 3 dias em que ficamos na pousada.
Há acomodações muito boas por lá também, portanto planeje sua viagem e reserve com antecedência. Recebemos muito boas recomendações da Estalagem do Alcino e Hotel de Lençóis. Evite ficar nas casas que as pessoas alugam. Pelo que vimos por lá é tudo muito precário. Caso não tenha opção, recomendaria mesmo ficar em outra cidade.É melhor do que pagar caro para ficar em um lugar ruim.

Atrações

Tudo que fica próximo a Lençóis é mais cheio e mais "comercial" que o restante da Chapada. Vá por mim: tirando a Cachoeira do Silêncio e a da Mixila, que não posso dizer porque não fui, não precisa de guia para nenhuma das atrações próximas a Lençóis. Na associação dos guias e nas pousadas provavelmente vão tentar fazer você ficar com medo, dizendo que as trilhas são perigosas, mas tudo o que vi lá era bem sinalizado e bem facinho de chegar.

Pratinha

É um rio de águas cristalinas que fica a uns 70 km de Lençóis. Você paga R$20,00 por pessoa para ter acesso à propriedade. Há várias atividades para você se aproveitar por lá: caiaques, tirolesa, restaurantes, lojinha de souvenir, e também há a opção de fazer uma flutuação na gruta.
Não curti muito a flutuação porque, apesar da lanterna que você leva no capacete, não dá para ver praticamente nada lá dentro. Caso você nunca tenha estado em uma caverna antes, vale pela experiência. Se não, é um pouco decepcionante. Você pode usar o seu snorkel na área de banho do rio, aí sim você verá alguns peixinhos naquela água limpinha.
Não morri de amores pela Pratinha não, talvez pelo fato de que estava muito, mas muito cheio, e a estrutura do local não estava dando conta, mas se você tiver um tempinho dê uma passadinha por lá, eu torço para que você volte com uma opinião diferente da minha :)
Ah, se estiver de carro, não vá de guia. A estrada é bem sinalizada, e seu guia não servirá para absolutamente nada no complexo, além de ficar sentado esperando você voltar para Lençóis.

Pratinha - Chapada Diamantina - Lençóis

Pratinha - Chapada Diamantina - Lençóis


Cachoeira do Mosquito

Essa sim é de encher os olhos. Para chegar a essa cachoeira, pegue estrada de Lençóis até a BR, e aí siga nessa rodovia em direção a Salvador. Quando avistar um vilarejo (é bem pertinho, não dá nem 10 minutos), você verá uma estrada de terra à esquerda, logo antes do início da vila, com um depósito de gás bem grande.
Seguindo por essa estrada de terra, você verá uma placa para a Cachoeira do Mosquito. No final dessa estrada está a entrada para a propriedade onde fica a cachoeira. Abra a porteira, pague seus R$10,00 de taxa e continue até o estacionamento que marca o início da trilha.
A trilha é fácil de seguir, bem conservada e curtinha. E no final dela, essa visão maravilhosa:

Cachoeira do Mosquito - Chapada Diamantina

Cachoeira do Mosquito - Chapada Diamantina
Cachoeira do Pai Inácio

Essa cachoeira é pequena e pouco visitada, mas é muito gostosa! Fomos no mesmo dia em que fizemos a do Mosquito, depois do almoço.
Logo ao lado do Morro do Pai Inácio, siga as placas para o Orquidário. Pare o carro no estacionamento e siga a pé pela estradinha. Você vai andar cerca de 40 minutos até a cachoeira, e vai aproveitar cada um deles. Na ida, você terá uma visão linda do Morro do Camelo, e na volta, do Morro do Pai Inácio. Leve bastante água, porque não tem muita sombra nessa caminhada.
Cachoeira do Pai Inácio - Chapada Diamantina

Morro do Camelo visto da trilha - Chapada Diamantina

Morro do Pai Inácio visto da trilha - Chapada Diamantina

Morro do Pai Inácio

Este foi o local escolhido para apreciarmos o último pôr do sol de 2014, e a escolha não poderia ter sido melhor!! A vista de lá é simplesmente de tirar o fôlego!!!!
Este cartão postal da Chapada tem 1120m de altura. Depois de subir uma boa parte de carro até o estacionamento, vem uma trilhazinha curta, mas íngreme, com cerca de 20 minutos de subida boa. De lá você terá uma visão 360º do parque, avistando desde o Morro do Camelo, de um lado,  até o Morrão, de outro. É simplesmente fantástico.
Fique atento, pois a trilha fecha às 17:00h para subida.
Vista do Morro do Pai Inácio - Chapada Diamantina

Vista do Morro do Pai Inácio - Chapada Diamantina

Pôr do Sol no Morro do Pai Inácio - Chapada Diamantina

Pôr do Sol no Morro do Pai Inácio - Chapada Diamantina


Ribeirão do Meio

Essa simpática cachoeirinha é muito legal para passar o dia. A trilha é fácil, bem conservada e bem sinalizada, com quiosques no meio do caminho para você comer um lanchinho, tomar uma água ou comprar uma lembrancinha. É um lugar muito singular, pois a água desce sobre uma rocha lisa, que vira um toboágua natural!! Isso mesmo, você escala a rocha pelo cantinho e desce escorregando. É quase um Wet'n Wild na chapada!!! kkkkk
Como tudo o que fizemos em lençóis, tivemos que passar por aquela desinformação típica de lá. Só conseguimos encontrar o início da trilha depois de perguntar para umas 5 pessoas, que nos disseram que "de jeito nenhum dava para fazer sem guia", o que nem de longe é verdade.
Para chegar lá, procure pela pousada Luar do Sertão, o início da trilha é bem ao lado. Coloquei umas setinhas na foto para ajudar você a se localizar (não ficou bonito, não reparem!).

Algumas fotos da cachoeira:


Ufa!! Essa foi nossa aventura pela Chapada! Espero que as informações ajudem no seu planejamento, A região é linda e apesar de todos os problemas, vale muito a pena conhecer! Boa sorte e boa viagem!!

Parte 1 - Ibicoara e Cachoeira do Buracão - Chapada Diamantina

Parte 2 - Poço Azul e Poço Encantado - Chapada Diamantina

Parte 3 - Museu do Garimpo e Igatu - Chapada Diamantina

Parte 4 - Cachoeira Encantada - Chapada Diamantina

Parte 5 - Vale do Capão - Cachoeira da Fumaça - Cachoeira do Riachinho - Conceição dos Gatos - Chapada Diamantina

Novo: MONTE RORAIMA!!!