quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Chapada Diamantina - 9 dias - Parte 3

Bom, era dia de Natal e íamos nos "mudar" para nossa segunda base: Mucugê!
Já havíamos feito reservas no Alpina Hotel Mucugê, o preço era bom e o hotel parecia ter uma estrutura legal. Arrumamos nossa mala e logo depois do café pegamos a estrada. A programação para o dia era light: Museu Vivo do Garimpo e Igatu.

MUSEU VIVO DO GARIMPO
Pegamos novamente a ótima estrada que vai de Ibicoara até Mucugê. Passando a cidade, em poucos minutos você verá a placa para o Museu Vivo do Garimpo à sua direita. Você estaciona ali mesmo e pega uma pequena trilhazinha até a entrada.
O Museu Vivo do Garimpo é uma antiga casa de garimpeiro na qual estão expostas algumas máquinas, utensílios, roupas utilizadas nas antigas minas, alguns diamantes verdadeiros (bem pequenininhos!) e um simpático guia te conta as histórias da exploração de diamantes na região. É um passeio rápido e bem instrutivo. A entrada também é baratinha, R$5,00.
Museu Vivo do Garimpo - Chapada Diamantina
Museu Vivo do Garimpo - Chapada Diamantina

IGATU
Depois de lá seguimos direto para Igatu. Basta continuar pela mesma estrada, e em alguns quilometros você verá uma placa indicando a entrada à esquerda. A estradinha é bem ruim, não sei se arriscaria andar por ali em um dia chuvoso. Ela é toda de pedras e em alguns trechos é muito íngreme e estreita, mas de novo: Vale muito a pena!!
Estrada para Igatu - Chapada Diamantina

Igatu é um vilarejo lindo, muito pitoresco e interessante, diferente de tudo o que vimos na Chapada. As casinhas são bem coloridas, algumas de pedra, ruas de pedra estreitinhas, tudo muito bem cuidado, um charme! Lá há várias pousadinhas e restaurantes, acho que compensa passar uma noite por lá e conhecer melhor esse cantinho tão lindo, principalmente se você for fazer a trilha para a Rampa do Caim (infelizmente não tivemos tempo para fazer essa!).
Paramos o carro próximo à rua principal e seguimos a ruazinha à direita para o Projeto Brejo-Verruga (basta perguntar a algum morador, é bem fácil de achar).

PROJETO BREJO-VERRUGA
Esse lugar simplesmente me encantou! Trata-se de uma antiga mina de diamantes, onde trabalharam 3 gerações de escravos. Segundo nosso guia, que era neto de um dos escravos da terceira geração, lá trabalharam homens vindo de todos os cantos do mundo, Todos eles apareciam por lá trazidos pelos senhores de escravos, alguns ainda pré-adolescentes, portando documentos brasileiros com nomes como "João Gringo". Trabalhavam duro a vida toda, e recebiam apenas casa e comida em troca. Em Igatu, graças a esta mina, chegaram a viver cerca de 30.000 pessoas, mas uma seca  que durou 10 anos tornou impossível a continuidade do garimpo e levou a uma escassez de comida que fez quase todos os habitantes abandonarem a cidade, restando pouco mais de 40.
Nosso guia nos contou que quando ele era criança ouvia diariamente os estrondos dos telhados das casas abandonadas desabando....
Entrando pela mina você vai ouvindo as histórias e se encantando com a riqueza do passado desse lugar. Há 2 salões repletos de esculturas feitas por um artista local retratando os escravos da terceira geração. No segundo salão, o guia pede que você apague a lanterna para experimentar a escuridão e o silêncio absoluto do interior da mina, e logo começa a acender as velas que cercam as várias esculturas. É uma visão linda! para coroar, a todo momento você ouve o clap clap dos morcegos voando para outro salão incomodados com a luz e a fumaça das velas.
Eles ainda estão trabalhando na recuperação de outros salões abertos pelos escravos, e quando tudo estiver pronto (em 1 ou 2 anos, segundo o guia), o visitante vai sair bem no meio de 2 cachoeiras no final do passeio!!! Já vou agendar aqui minha viagem de volta à Chapada!!!!
Projeto Brejo Verruga - Igatu - Chapada Diamantina

Projeto Brejo Verruga - Igatu - Chapada Diamantina

Projeto Brejo Verruga - Igatu - Chapada Diamantina
Projeto Brejo Verruga - Igatu - Chapada Diamantina
Projeto Brejo Verruga - Igatu - Chapada Diamantina

Continuamos o nosso passeio a pé pelo vilarejo, paramos para almoçar em no Art Hotel Cristal, bem em frente à praça. O lugar é bem bonitinho, tem Heineken gelada e comida gostosa. Dei uma bisbilhotada na parte das acomodações e achei tudo lindo e caprichado. Ah, e aceita cartão!
Art Hotel Cristal - Igatu - Chapada Diamantina

Art Hotel Cristal - Igatu - Chapada Diamantina

De lá, descemos a primeira rua à esquerda para visitar as Ruinas de Igatu. Caminhando por ali dá para ter uma idéia do tamanho dessa cidade na época da mineração, são muitas e muitas casas abandonadas. Também tem uma igreja enorme com eucaliptos plantados em volta, bem no estilo europeu. Se você tiver sorte, ainda dá para ir beliscando as pitangas que crescem aos montes pelo caminho.
Igatu é surpreendente, não deixe de visitar!!
Ruinas de Igatu - Chapada Diamantina
Igreja em Igatu - Chapada Diamantina

Igreja em Igatu - Chapada Diamantina

Alpina Hotel Mucugê
De Igatu fomos direto para o hotel, que fica na estrada a cerca de 10km de Mucugê. O hotel é enorme e tem uma vista linda, mas está bem caidinho, parecendo um lugar abandonado. A área comum é ok e os funcionários são simpáticos e prestativos, mas o quarto deixa muito a desejar. Tudo é muito velho e carece de manutenção. A forração do teto é deficiente e deixa entrar um monte de insetos, e a água do chuveiro e da pia tem um cheiro bem forte de ferrugem. Você sai do banho cheirando a ferrugem e não dá para escovar os dentes com a água. Se o preço estiver ótimo, dá pra ficar, mas acho que da próxima vez vou preferir alguma pousadinha na cidade mesmo.

Mucugê
Fomos jantar no restaurante Point da Chapada, que fica bem atrás da praça de eventos, próximo ao palco. O restaurante é lindo, com uma decoração muito bem feita e um ambiente super gostoso. Eles servem uma pizza simplesmente divina! As caipirinhas também são uma delícia.
Depois disso, fomos dar uma voltinha pela cidade e encontramos o simpático café Piriquita. Uma ótima opção para um cafezinho com bolo ou uma cervejinha. O lugar é divertido, tendo como tema.... a piriquita! Calcinhas por toda parte, retratos e esculturazinhas dedicadas a ela pelas prateleiras, uma graça! Fica na Rua Joao Paraguassu, que é paralela à principal, atrás da Pousada Mucugê. Quando chegar à praça do Coreto, é só entrar na ruazinha de trás da principal que você encontra o café.

Depois disso voltamos ao hotel, pois a trilha do próximo dia seria puxada: Cachoeira Encantada!!!

Continua.....

Parte 1 - Ibicoara e Cachoeira do Buracão - Chapada Diamantina

Parte 2 - Poço Azul e Poço Encantado - Chapada Diamantina

Parte 4 - Cachoeira Encantada - Chapada Diamantina

Parte 5 - Vale do Capão - Cachoeira da Fumaça - Cachoeira do Riachinho - Conceição dos Gatos - Chapada Diamantina

Parte 6 - Lençóis - Pratinha - Morro do Pai Inácio - Ribeirão do Meio - Cachoeira do Pai Inácio



Um comentário:

  1. Parabéns Carol.
    Está ficando muito bom. Está conseguindo me deixar com vontade de ir também.
    Estou curioso pelas outras 6 partes.

    ResponderExcluir